A “Corporatização” das redes de franquias